I was wondering (again)…

August 16, 2012

If I should delete this blog completely…

I’m not sure if people are still blogging nowadays…. Everybody is tweeting or facebooking instead…

Hm… Hm… But I have to admit, blogs still have a special “flair”… the idea that only the ones who WANT to read it will drop by to see what’s happening around is kind of a relief of the Facebook/Tweet craziness…

Hm. Maybe I’ll start to write here again. 😉

Advertisements

Aventuras Augustinas 2 – visita à Gisla em Baden, Suíça.

September 8, 2008

bom, depois de voltar (moída) de Wacken, trabalhei uma semana (ou melhor, 3 dias) e tirei a sexta-feira (dia 08.08.08) de folga pra ir passar o fim de semana com a Gisla.

A Gisla é uma amiga muito muito muito querida que eu adoro muito. A gente se conheceu em 1994, quando ela começou a estudar na Unicamp. Conhecemo-nos no ônibus fretado que ia de Americana à Unicamp diariamente. Naquela época eu morava em Americana, e a Gisla é uma americanense legítima. Muita gente achava – e ainda deve ter quem ache – que nós somos irmãs. Daí a nossa carinhosa e recíproca alcunha: “gêmolas” 😛

A amizade foi se desenvolvendo com o tempo. Moramos juntas na Moradia Estudantil da Unicamp. Fomos a muitas festas juntas. Choramos algumas vezes juntas. Brigamos uma vez, ficamos um tempão sem nos falarmos. Com o tempo a birra perdeu valor e a gente voltou a se adorar! 🙂

Eu fui morar em São Paulo. Gisla voltou para a Americana. Gisla fez mestrado. Eu mudei pra Alemanha. Gisla se apaixonou por um alemão meio fajuto (ainda acho que o Chris engana todo mundo: ele é brasileiro e finge ser alemão, hehehehe…). Eu larguei o emprego, fiz mestrado na Alemanha. Gisla resolveu pôr toda a poesia da vida dela em prática: largou o emprego e veio para a Europa morar com o amor da vida dela. Ela casou (casou mesmo, que eu vi!!), eu recebi uma proposta de trabalho na Áustria.

… e a amizade continua, como toda amizade de verdade: a gente pode até nem se ver com tanta frequência, mas a Gisla sabe que tem um pedação do meu coração só pra ela!

E, do mesmo jeito que o Chris também ganhou um pedaço do meu coração por fazer a minha irmã gêmola tão feliz, agora a Ana Carolina também está na lista de pessoas queridas. E quem é a Ana Carolina?

Até agora ainda não a vimos, mas ela está pra saltar pra fora da barriga da Gisla nos próximos dias. E eu já sei que ela vai ser tudo de fofa e tudo de cheirosa e de gostosa. Hm. Será que ela também vai ter bocão? Hm. Não sei. Mas que ela vai ser – e já tá sendo! – muito amada… disso não há dúvidas.

A visita à Gisla foi muito peculiar. Em vários aspectos.

Primeiro porque eu pude ir pela segunda vez a Zurique. Pra quem ainda se lembra (vejam o Post aqui), eu fui a Zurique pela primeira vez com a Sabine (também brasileira, amiga ainda da época da escola…) em 2003, logo que cheguei à Europa. Foi muito muito legal ir agora, depois de mais de 5 anos morando por aqui, e ver como a minha percepção da cidade e das pessoas mudou. Eu amadureci muito nos últimos anos e a ida a Zurique me mostrou como eu mesma mudei. E foi bom demais da conta ir até lá com a Gisla.

Também fomos a Lucerna, que foi uma grande surpresa pra mim, pois eu realmente não conhecia a cidade, que é simplesmente a perfeita cidade para passar férias de verão: à beira do lago, com uma vista maravilhosa para os alpes!! 🙂

O segundo aspecto da visita à Gisla foi praticamente uma profunda reflexão sobre “o sentido da vida”… 😛

Este não é bem o tipo de coisa que se escreve em um blog, mas trocando em miúdos… basicamente “elucubrações de quem já passou dos 30”.

Quando a Gisla e eu nos conhecemos, eu tinha 19 e ela tinha 18. Agora ambas já entramos na fase balzaquiana de nossas vidas.

Como as coisas mudaram! – Quanta coisa aconteceu neste ínterim, quantas coisas fizemos, quantas pessoas cruzaram nossas vidas…

E eu pensei muito sobre todas as decisões que tomei e sobre todas as decisões que não foram nunca tomadas. Pensei sobre muitos “what if”, cheguei à conclusão que de “what if” não se chega a lugar algum. 🙂

… e cheguei à conclusão de que eu tenho medo. Muito medo de um dia não ser mais livre pra simplesmente levantar e ir embora pra outro lugar, pra outro país, pra outro planeta. Tenho medo de algum dia ter compromissos que me prendam a um lugar ou a uma condição. E é por isso que eu tenho medo de ter marido, de ter filhos, de ter cachorro, gato, papagaio. Nem mesmo plantas eu quero ter!!

E, ao concluir tudo isso… eu fiquei triste.

(sim, isto foi um momento “EMO”, mas já passou, hehehehe…)

… e o terceiro e último aspecto da visita à Gisla foi o aspecto culinário. COMO FOI BOM comer coxinha de frango!!! Nossa, eu nem lembrava do quanto é bom este trem, minha gente… bom demais da conta!!! 🙂

Brigadão pelo fim de semana, Gisla!! E tomara que a Ana Carolina seja tão fofa e cheirosa quanto a mãe e o pai dela! 😉

Ah, é… eu tirei várias fotos, mas não sei onde raios o meu cartão SD foi parar… então passo o link das fotos da Gisla, messss